“Qual é a razão de eu não poder estar aqui? Não há problema nenhum. Isto é um emprego. Aqui eu conquistei. Isto aqui é meu.”

Estas foram as palavras do deputado João Rodrigues ao retornar à Câmara. Rodrigues cumpre mandato de deputado de dia e pena na cadeia de noite (há mais dois na mesma situação). O episódio é um retrato do Brasil. O político, aqui, considera que o mandato parlamentar pertence a ele— e não ao povo a que serve. O Legislativo e o Judiciário, que não cassam seu mandato, concordam. No Brasil, o Estado foi privatizado.

A lei da Ficha Limpa proíbe que um criminoso chegue ao Parlamento. Mas, uma vez lá, o criminoso pode ficar, ninguém vê problema. E é aí que está o problema.

*Imagem: Jornal O Globo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s